News

Situación atual das startups fintech na Espanha e na Europa

Com o desenvolvimento das novas tecnologias e suas diversas aplicações no campo financeiro, surgiu um novo setor que promete dominar, a médio e longo prazo, vários aspectos importantes na vida diária das pessoas, como a compra de produtos e serviços, a poupança, o investimento ou as transferências bancárias: a indústria fintech.

Sumário

Vamos ver o que é uma startup fintech e qual é sua situação na Europa e, especificamente, na Espanha.

O que é uma startup fintech?

A palavra fintech surge da combinação entre finanças e tecnologia, e refere-se ao novo setor que incorpora as últimas empresas e ferramentas de tecnologia financeira que revolucionaram o mundo da banca e das finanças.

Fintech startups são todas as novas empresas que surgem dentro deste setor. Sua demarcação é bastante ampla, pois inclui todos os negócios que utilizam aplicativos bancários e neobancos, bem como ferramentas inovadoras de pagamentos, crowdfunding, concessão de créditos ou criptomoedas, para citar apenas algumas aplicações específicas.

Uma oportunidade para os fundos: o investimento em startups fintech

Qualquer setor que apresente um crescimento acelerado chamará a atenção de investidores que decidem destinar seu dinheiro para impulsionar a criação de empresas, e o setor fintech é um exemplo disso. Nos últimos anos, tornou-se o favorito de muitos fundos, movimentando quantias de investimento muito interessantes e atraindo investidores e fundos de alto reconhecimento global.

Por exemplo, The Jupiter Global Fund - Jupiter Financial Innovation LEUR Acc encerrou o ano de 2020 com um retorno de 23%, apostando em títulos de renda variável dentro do setor financeiro. O Wellington FinTech S USD Unhedged Acc, por sua vez, obteve um retorno de 30,85% investindo neste setor, em um ano em que os avanços ainda não eram tão potentes quanto na atualidade.


Os investidores têm outras opções muito interessantes, como Robeco Global FinTech Equities, BGF FinTech ou Fintech Income SICAV. Todos eles apostam no setor e têm obtido retornos muito interessantes nos últimos anos.

Startups fintech que alcançam a fama: os unicórnios fintech europeus

Consideramos como unicórnios todas as startups cuja avaliação ultrapassa $1 bilhão. Embora isso possa parecer um marco bastante difícil para um novo negócio, a realidade nos mostra que existem alguns casos de fintechs onde essas quantias já foram alcançadas:

  • Monzo. Este banco digital tem apenas 7 anos de existência e sua avaliação já ultrapassa US $2,5 bilhões. Fundado em 2015 em Londres, destaca-se por suas poderosas campanhas de crowdfunding, que estabeleceram recordes em termos de rapidez na captação de recursos.
  • Revolut. Também é um banco digital, com uma avaliação de mais de US $33 bilhões, fundado em 2015. Destaca-se por sua alta presença publicitária em todo o mundo, estratégia que lhe permitiu atrair mais de 3 milhões de clientes internacionais.
  • Oaknorth. Esta entidade opera oferecendo empréstimos a promotores imobiliários e empresas, com retornos muito interessantes para seus clientes. Graças ao seu modelo de negócios bem-sucedido, conseguiu obter uma avaliação que ultrapassa US $2 bilhões em apenas 7 anos de existência.
  • Klarna. É um banco digital que inclui um sistema de pagamentos inovador, permitindo um pagamento tardio das quantias ou a divisão do pagamento em três parcelas sem juros. Fundada em Estocolmo, sua avaliação ultrapassa US $45 bilhões.
    N26. É considerado um dos bancos digitais mais importantes e bem avaliados na Europa, com uma avaliação de mais de US $9 bilhões. Fundado em Berlim em 2013, seu crescimento tem sido praticamente incomparável desde então.

Qual é o futuro do setor? Os possíveis unicórnios fintech na Europa e na Espanha que podem surgir

Assim como vimos as melhores fintechs atualmente, também temos outras empresas promissoras que podem se tornar unicórnios, especialmente no mapa fintech da Espanha:

  • Clarity AI. É considerada uma fintech de sustentabilidade, e sua avaliação atualmente alcança US $400 milhões. Fornece informações sobre o impacto ambiental e social de milhares de organizações globalmente.
  • Aplazame. É uma fintech espanhola fundada em 2014 e liderada por Fernando Cabello-Astolfi. Conta com investidores especializados em finanças e tecnologia como François Derbaix, recentemente entrevistado neste podcast. Oferece aos e-commerces a oportunidade de seus clientes pagarem as compras de forma personalizada, parcelando o pagamento em até 36 meses.
  • Bizum. O projeto Bizum nasceu em 2016 para conectar as contas bancárias dos clientes a seus telefones celulares. Desta forma, simplificou as transferências, tornando-se uma referência neste termo: "Eu te faço um bizum". Atualmente, possui 200 milhões de usuários ativos, trabalha com 31 entidades bancárias e introduziu a possibilidade de doar dinheiro para ONGs.

Também podemos destacar algumas empresas com muito futuro no continente europeu:

  • Flagstone. Apoia e aconselha em economia grandes empresas, PMEs e indivíduos (avaliação: mais de US $25 milhões).
  • Zego. Oferece seguros inovadores e flexíveis para todos os tipos de clientes (avaliação: mais de US $40 milhões).
  • Elliptic. Oferece consultoria regulatória para instituições financeiras (avaliação: mais de US $30 milhões).

Agora que você viu as principais fintechs na Espanha e na Europa, bem como os fundos que apostam neste setor, pode entender a importância que ele tem atualmente e a que ganhará nos próximos anos.

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossas últimas notícias diretamente na sua caixa de entrada.