News

A importância de ter uma almofada financeira

A gestão das finanças pessoais é fundamental para planejar o futuro e ter acesso a uma melhor qualidade de vida. É exatamente por isso que ter uma almofada financeira, também conhecida como "colchão financeiro", permite alcançar independência financeira e proporcionar estabilidade à economia doméstica.

Sumário

 

A chamada "almofada financeira" é uma técnica de poupança cujo principal propósito é constituir um fundo de emergência que permita cobrir despesas imprevistas e manter uma relativa autonomia financeira. No entanto, também pode ser usado para investir em projetos específicos ou cobrir outras despesas caso a nossa fonte de rendimento seja afetada por qualquer motivo.

O que é um colchão financeiro?

O colchão financeiro ou almofada financeira é uma ferramenta financeira criada dentro da economia doméstica para evitar o endividamento em caso de insuficiência de rendimento para enfrentar alguma despesa ou interrupção no rendimento. Este fundo é formado a partir da poupança gradual da pessoa, dependendo do seu rendimento e capacidade de poupança.

Em relação à poupança, os dados mais recentes disponíveis do relatório Trimestral de Contas Não Financeiras dos Setores Institucionais do Instituto Nacional de Estatística (INE) para o último trimestre de 2022 indicam que a taxa média de poupança está atualmente em 14,5% do rendimento disponível no lar. Isso representa uma redução de 7 pontos em relação a 2021.

Apesar disso, a almofada financeira deve prever essas circunstâncias macroeconômicas. Embora deva ser usado para despesas não previstas no nosso orçamento, uma vez constituído, geralmente é utilizado para outros fins — férias, compra de eletrodomésticos, investimento em projetos profissionais. No entanto, é recomendável utilizá-lo apenas em casos de urgência.

Como adquirir uma almofada ou reserva financeira?

Adquirir uma almofada financeira é relativamente simples. Para cumprir a sua função, ele deve ultrapassar um mínimo que é calculado com base no rendimento e nas despesas mensais do lar. Deve cobrir entre três e seis meses das despesas totais do lar. Portanto, dependerá de cada caso determinar o montante mínimo.

De acordo com os dados do relatório do INE, os gastos em consumo final dos lares aumentaram 12% em relação ao ano anterior, o que significa que os lares estão dedicando uma percentagem maior do rendimento ao consumo. Esse fenômeno pode ser atribuído ao cenário inflacionário e à queda no poder de compra que este provoca.

Para adquiri-lo, deve-se considerar o custo médio de vida do lar para determinar um valor específico que pode ser contribuído mensalmente, de acordo com a capacidade do orçamento para constituir este fundo. Uma vez atingido um montante suficiente para cobrir entre três e seis meses de despesas, o colchão está constituído.

Vamos mostrar-te melhor com um exemplo visual:

Exemplo da construção de uma almofada financeira

Vamos supor que uma pessoa com um salário de 1200€ deseja construir um colchão financeiro para lidar com imprevistos.

  1. O primeiro passo é determinar o custo médio de vida do lar, ou seja, quanto se gasta em média por mês em despesas essenciais como alimentação, habitação, transporte, faturas, etc. Digamos que o custo médio de vida do lar desta pessoa seja de 800€ por mês.
  2. O próximo passo é determinar qual valor específico pode ser contribuído mês a mês para o fundo do colchão. Para isso, é importante analisar o orçamento pessoal e determinar quanto pode ser dedicado cada mês sem comprometer o equilíbrio financeiro. Digamos que esta pessoa decida contribuir com 100€ por mês para o fundo do colchão ou reserva.

Portanto, após 2 anos (24 meses) contribuindo com 100€ por mês para o colchão financeiro, esta pessoa terá acumulado dinheiro suficiente para cobrir seus gastos essenciais por 3 meses. Se desejar um colchão mais robusto que cubra até 6 meses de despesas, deverá continuar contribuindo até atingir os 4800€ (6 x 800€), o que levaria mais 24 meses (2 anos) adicionais.

Quanto tempo costuma demorar para adquirir uma almofada financeira?

Dependendo da renda do lar, de seus gastos e do montante mínimo que deseja cobrir com o fundo, adquirir uma almofada financeira pode levar mais ou menos tempo. Deve-se ter em mente que a constituição deste fundo não exige que se alcance imediatamente esse montante.

Assim, dependendo de nossa idade e objetivos financeiros, pode levar cerca de dois anos dedicar essa porcentagem da renda ao fundo de emergência para alcançar o montante desejado. Em casos de menor idade, é recomendável contribuir com uma porcentagem maior da renda e, com o tempo, reduzir essa contribuição.

Geralmente, uma média conservadora para contribuir com um fundo de emergência desse tipo é entre 10% e 15% da renda mensal até alcançar o montante desejado. Naturalmente, a eficácia desse modelo depende do perfil da pessoa e de sua capacidade de poupança.

Como é que as micro-poupanças contribuem para a construção de uma almofada financeira?

Com base na seção anterior, fica claro que as micro-poupanças são essenciais para a constituição de uma almofada financeirao. Como fundo de emergência, ele não precisa necessariamente estar disponível imediatamente, então as contribuições de pequenas quantias são a melhor maneira de constituí-lo como tal.

Nesse sentido, além das contribuições mensais específicas, o dinheiro excedente da renda pode ser direcionado para constituir esse fundo. O mesmo pode ser dito sobre despesas regulares que resultem em excedentes devido a compras de consumo, serviços e reembolsos por promoções, descontos e outros benefícios comerciais..

Construir o seu colchão financeiro através de poupança automática e personalizada

Atualmente, graças ao desenvolvimento de soluções informáticas para a banca online e às aplicações de pagamento, construir um colchão financeiro é mais simples do que nunca. Na verdade, esse tipo de ferramentas permite automatizar a poupança com base no consumo e nos benefícios comerciais mencionados no parágrafo anterior.

As aplicações e plataformas de gestão bancária digital permitem distribuir o dinheiro e constituir um fundo de poupança. Nele, será depositado o excedente da renda mensal proveniente do consumo e do pagamento de serviços.

Além disso, esse tipo de aplicações oferece ferramentas para a poupança e permitem gerar rendimentos passivos mensais para aumentar a reserva financeira.

Adquirir uma almofada financeira é fundamental para obter autonomia financeira e estabilidade econômica. No entanto, a sua criação depende do perfil da pessoa, dos seus objetivos a longo prazo e da capacidade de poupança que esta possui.

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossas últimas notícias diretamente na sua caixa de entrada.