News

As 6 etapas do processo de colaboração entre TI e Produto numa Fintech

Neste artigo, exploramos o nosso processo de colaboração, destacando as fases, acordos e ações chave que são realizadas em cada projeto.

Sumário

Para a nossa scale up - e muitas outras fintechs - a colaboração entre os departamentos de TI e Produto é fundamental. Para impulsionar a inovação e desenvolver produtos financeiros que conquistem milhões de utilizadores finais, o meu departamento trabalha em conjunto com o liderado por Óscar Barba para conceptualizar, desenvolver e melhorar constantemente as soluções tecnológicas que oferecemos.

COCO-IA-Financial-Data-Enrichment-en

Juan Carlos López

Cofundador e CPO da Coinscrap Finance

Etapa 1 - Detectando as necessidades do mercado financeiro

A identificação das exigências no setor bancário e segurador é o ponto de partida para qualquer projeto fintech. Nesta fase, nossos departamentos, em conjunto com Negócio, analisam possíveis oportunidades e necessidades de mercado.

Com base nesta análise, são geradas propostas e ideias que serão avaliadas e detalhadas pela equipa de Produto. É crucial que exista uma estreita colaboração entre TI e Produto para estabelecer possíveis colaborações ou trabalhos cruzados que permitam desenhar soluções inovadoras.

Etapa 2 - Conceptualização e validação do projeto na sua fase inicial

Uma vez que o TI e Data validam as propostas a nível tecnológico, os departamentos começam a conceptualizar e gerar as primeiras ideias, que se tornarão o germe da nova ferramenta ou funcionalidade. Durante esta fase, são realizadas reuniões e trabalho concreto para explorar diferentes abordagens e soluções.

É também essencial validar o projeto incipiente com a área de Negócio. O seu conhecimento de mercado garante que as propostas sejam viáveis e estejam alinhadas com os objetivos estratégicos da empresa.

Etapa 3 - Planejamento e estimativa de recursos necessários

É o momento de os departamentos de TI e Data realizarem um planejamento e estimarem quais serão os recursos necessários para realizar o desenvolvimento do projeto. Afinal de contas, somos uma empresa de tecnologia financeira!

Durante esta etapa, serão definidas as fases do processo, os esforços a serem realizados por cada departamento e os possíveis bloqueios ou complexidades que podemos enfrentar nas próximas semanas.

O resultado da colaboração entre os departamentos de TI e Produto é um plano de projeto realista e alinhado com as expectativas da equipa. No entanto, não são necessárias datas específicas nesta fase.

New call-to-action

Etapa 4 - Priorização das etapas do processo em conjunto

Este passo crítico envolve indicar a prioridade do projeto com a intervenção dos três departamentos mencionados. A área de Negócio pode ou não estar presente, dependendo da estratégia previamente delineada.

Na verdade, é importante considerar uma pré-priorização através de um comité específico. Esta etapa permite definir as entregas e datas dos projetos, bem como comunicá-las a todas as equipes envolvidas.

O acompanhamento por parte do Produto é fundamental para garantir o cumprimento das entregas e a correta comunicação entre os diferentes departamentos.

Etapa 5 - Início e acompanhamento do projeto, um processo iterativo

Uma vez estabelecida a prioridade dos projetos, é feito o kick offe o acompanhamento. Durante esta fase de implementação, é feita uma inspeção constante do projeto, garantindo o cumprimento das entregas, identificando possíveis bloqueios ou alterações de requisitos e realizando reuniões.

O objetivo principal é garantir que o projeto progrida conforme planeado e que quaisquer problemas ou desvios que possam surgir durante o mesmo possam ser resolvidos. 

A colaboração e comunicação contínua entre os departamentos de TI e Produto são essenciais para o sucesso desta fase.

Etapa 6 - Evolutivos: a melhor forma de introduzir melhorias e novas funcionalidades

Uma vez concluído o desenvolvimento, inicia-se um ciclo contínuo de melhoria e evolução do produto. Esta fase também é definida pela colaboração entre ambos os departamentos, que trabalharão na conceptualização e validação de novas funcionalidades, possíveis melhorias e busca de soluções criativas.

Para identificar oportunidades, pesquisar novas tecnologias e garantir que o produto se mantenha atualizado e competitivo, nada melhor do que manter contato frequente através de reuniões regulares.

Reuniões regulares promovem uma comunicação fluida entre os departamentos

As nossas reuniões, como uma empresa fintech com talento localizado em diferentes pontos geográficos, são maioritariamente virtuais. Isso é frequentemente uma vantagem, pois poupa tempo em deslocações e há menos conflitos de agenda. As videochamadas ajudam a manter a comunicação e alinhamento entre as equipas de trabalho.

Comité de Estratégia

Reunião trimestral onde participam representantes de Negócio, Produto, TI, Vendas e Marketing. O objetivo desta reunião é alinhar as diferentes áreas e estabelecer metas comuns.

Reuniões de Acompanhamento

Reunião semanal onde Produto e TI se reúnem para atualizar o estado dos desenvolvimentos, identificar possíveis problemas e alinhar esforços.

Comité de Produto

Reunião onde é visualizado o trabalho de todas as áreas envolvidas na criação do produto . É um momento ideal para apresentar entregáveis, demos, etc.

Reuniões ad-hoc

Consoante necessário, podem ser criadas reuniões para abordar temas específicos, esclarecer dúvidas ou realizar trabalhos de conceptualização.

New call-to-action

Outras ações que podem ser necessárias durante o desenvolvimento de um projeto conjunto entre TI e Produto

Além das fases e reuniões mencionadas anteriormente, existem outras ações que são realizadas para promover a colaboração e a aprendizagem entre os departamentos de TI e Produto na Coinscrap Finance.

Uma destas ações são as pílulas formativas, sessões educativas muito breves que são realizadas para contribuir para a transparência e alinhamento entre os diferentes departamentos da empresa.

Estas sessões abrangem diferentes temas, como terminologia, produtos ou o trabalho realizado por cada área.

Outra ação importante é a criação de vários espaços de acompanhamento, onde são estabelecidas as ferramentas (como Notion ou Monday) com as quais será feito o controle das solicitações, os projetos e as conclusões obtidas.

Estas ações adicionais ajudam a manter a colaboração e garantem que todos os departamentos estejam focados em objetivos e progridem na direção desejada.

Em conclusão, direi que este processo de colaboração dá à Coinscrap Finance um forte impulso inovador e nos permite desenvolver produtos financeiros tão poderosos como este. Obrigado por ler!

Sobre o autor

Juan Carlos López Díaz Juan Carlos López Díaz é Chief Product Officer e cofundador da Coinscrap Finance. Em 2016, juntamente com David Conde e Óscar Barba, criou o Txstockdata e posteriormente, a Coinscrap App. Após o enorme sucesso obtido, o negócio mudou-se para o B2B com a ajuda do EVO Banco e do seu "Smart Piggy Bank". Como programador, tem mais de 8 anos de experiência liderando grandes projetos.

Junto com a sua equipa, é capaz de criar as melhores ferramentas para o mundo das finanças. Ao longo destes anos, realizou importantes integrações tecnológicas para grandes empresas do setor: Evo Banco, Santander, Caser, Mapfre, Aon ou Bankia. Juan Carlos é Engenheiro Eletricista pela Universidade Central da Venezuela e Desenvolvimento de Aplicações iOS pela U.N.E.D e pela U.C.A.M.

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossas últimas notícias diretamente na sua caixa de entrada.