News

6 passos para ter sucesso com a sua Prova de Conceito (PdC)

Lançamos um guia para explicar quais são os passos fundamentais para realizar uma Prova de Conceito bem-sucedida. Muitas partes podem estar envolvidas, e é necessário definir uma rota com marcos claros. Também é importante utilizar apenas os recursos essenciais para maximizar os resultados.

Sumário

Uma Prova de Conceito é, basicamente, um plano para verificar se um projeto, ideia ou design é tecnicamente viável e suscetível de se tornar realidade A PdC não tem nada a ver com a produção de um produto. É uma fase muito inicial do desenvolvimento e questões como marketing ou vendas devem ser deixadas de lado. 

A seguir, veremos quais são os passos necessários para realizá-lo no setor financeiro:

Concept map on the 6 steps to follow for a correct proof of concept

Passo 1: Encontre seu campeão

Em primeiro lugar, é necessário identificar e tentar alcançar as pessoas-chave (para B2B, costuma-se chamar ICP) com poder de decisão e que têm a capacidade de entender o projeto oferecido a elas. Muitas vezes, as PdCs falham porque não nos dirigimos às pessoas certas, ou porque o processo se estende por muito tempo. 

Passo 2: Alinhe-se com o roteiro do banco

Isso é fundamental para garantir que o projeto comece com uma visão compartilhada do sucesso. A alinhamento consiste em garantir que tanto a equipe do projeto quanto os membros representativos da organização estejam na mesma página desde o primeiro dia.

Os passos necessários para realizar o alinhamento do projeto são mencionados no guia..

Passo 3: Defina o escopo do projeto

Esta é a parte do planejamento do projeto que envolve determinar e documentar uma lista de objetivos específicos do projeto, entregáveis, características, funções, tarefas, prazos e, em última análise, custos.

Em outras palavras, é o que deve ser alcançado e o trabalho que deve ser feito para entregar um projeto. Neste ponto, a ideia de negócio deve ser definida. 

Talvez você queira saber como melhorar a experiência dos seus clientes com o Design Comportamental, recomendamos este artigo.

Passo 4: Tente fechar um orçamento

Tudo se resume a números. Portanto, o orçamento deve ser flexível, mas justo antes de começar, deve estar fixado e aceito por ambas as partes. É uma boa recomendação e uma boa prática detalhar os marcos, as condições de pagamento e nunca esquecer de mencionar o atendimento ao cliente ou as variantes do projeto.

Passo 5: Simplifique as coisas

Quanto mais simples, melhor. Tente estabelecer limites claros para as implicações do projeto. Evite depender de terceiros e faça com que a PdC funcione por si só. Isso reduzirá as fricções dentro da infraestrutura e dos sistemas da empresa. Além disso, os riscos em termos de segurança são reduzidos e o cliente não é exposto a riscos desnecessários.

Passo 6: Defina métricas e mostre casos de sucesso

"O que não é medido, não pode ser controlado".

Esta simples frase resume perfeitamente a ideia: é importante estabelecer KPIs e controlar periodicamente os indicadores.

Por um lado, os indicadores quantitativos são os números por trás dos indicadores de desempenho, como downloads, CTR, quedas, churn, etc.

Exemplos de famosas (e super bem-sucedidas) provas de conceito 

Procurando ideias para lançar sua Prova de Conceito? Aqui estão alguns casos de sucesso para você se inspirar:

Dropbox e seu vídeo explicativo

Antes de lançar sua plataforma de armazenamento de arquivos na nuvem, o Dropbox lançou um vídeo para testar se havia interesse por seu produto no mercado. Nele, eram mostradas as possíveis características básicas do software. Não apenas encontrou potenciais clientes, mas também se tornou viral! A lista de registro beta do Dropbox saltou de 5.000 para 75.000 naquela mesma noite. 

Airbnb começou com um simples colchão

Dois amigos que dividiam um apartamento perceberam que tinham espaço de sobra no apartamento e faltava dinheiro no final do mês. Eles tiveram a ideia de comprar um colchão inflável e oferecer um Bed & Breakfast diferente. Bem, sua "abertura" coincidiu com uma convenção de design que deixou a cidade sem quartos de hotel e, anos depois, sua empresa alcançou um valor de US$ 100 bilhões.

Red Bull te dá asas... 

Embora seja uma adaptação de uma bebida já existente na Tailândia, sua popularização veio da mão de um profissional de marketing que a descobriu em uma viagem ao país. Chocado com os efeitos da bebida em seu jet-lag, decidiu fazer algo para exportá-la para o Ocidente. Daí surgiu a ideia de distribuir latas de Red Bull nas universidades. As estudantes a adotaram como uma de suas bebidas favoritas e as vendas dispararam.

O que você achou desses exemplos? Criativos, não é mesmo? Às vezes, não é necessário criar algo novo, mas sim oferecer um produto ou serviço que ninguém mais tenha.

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossas últimas notícias diretamente na sua caixa de entrada.