News

O custo da felicidade: Qual é o preço da felicidade?

O que é realmente a felicidade? A busca pela felicidade é um tema que preocupa a maioria dos mortais. Quase todos concordamos que felicidade e segurança econômica andam de mãos dadas, certo? Por isso, quisemos verificar até que ponto esses dois conceitos estão ligados. Os resultados da pesquisa "Promover a felicidade financeira", publicada pela The Currency, podem nos ajudar em nosso objetivo. Não perca!

Sumário

Aqui estão alguns fatos interessantes: de acordo com a pesquisa mencionada, 59% das pessoas estão convencidas de que dinheiro pode comprar felicidade. Mais especificamente, 72% dos Millennials e 67% da Geração Z. O alívio que sentimos quando estamos financeiramente independentes é uma soma de alegria, liberdade e satisfação pessoal. Se isso não é a definição de felicidade, vamos dar o assunto por encerrado!


Também é verdade que a quantidade capaz de nos fazer verdadeiramente felizes varia muito dependendo da nossa idade. Em média, nos contentamos com "apenas" mais de um milhão de euros para enfrentar a vida com um espírito diferente. Mas, como você pode ver no gráfico, as novas gerações têm pontos de vista muito diferentes, com os zoomers sendo os mais contidos:

Desafios no caminho para a felicidade: reduzir os gastos desnecessários 

Durante esta busca incessante, os obstáculos insistem em aparecer em nosso caminho... 73% da população experimenta estresse financeiro, e fatores como inflação, aumento de preços e taxas de juros afetam nossa sensação de bem-estar. Além disso, 36% dos entrevistados afirmam que não conseguiriam enfrentar um gasto imprevisto de mais de 500€. Para melhorar nossa situação financeira, o primeiro passo que devemos tomar é observar como estamos gastando nosso dinheiro.

O que são gastos desnecessários?

Como os define o Business Insider, são pequenos gastos que não são essenciais, mas que acabam afetando nossa economia. Geralmente são quantias insignificantes às quais não prestamos atenção e, claro, acabam se tornando um problema no final do mês. Os euros que escapam de nossas mãos dia após dia representam, neste ponto do ano, uma média de 1.500€.

O que você acha? Ajudamos você a identificá-los para que possa melhorar sua situação financeira:

Pequenos vícios e caprichos

Os gastos com álcool e tabaco são os mais evidentes, pois têm uma carga tributária alta que aumenta seu preço. Claro, seu caráter social torna muito difícil eliminá-los completamente (embora fosse o melhor para nossa saúde financeira e física), então optar por alternativas como vaporizadores pode representar uma economia interessante. Tomar café fora diariamente também representa uma quantia significativa para nossos bolsos.

Compras impulsivas

Nosso lazer está cada vez mais associado ao consumo e pode ser negativo ir ao shopping apenas para passar o tempo. Está provado que o tédio ou os sentimentos negativos nos levam a colocar em nosso carrinho de compras muitos produtos que não precisamos. Devemos lembrar que os estabelecimentos estudam a localização das mercadorias para torná-las mais atraentes, especialmente aquelas localizadas perto do caixa. Fuja disso!!

Alimentação

No supermercado, algo semelhante acontece: carrinhos que se desviam em direção ao corredor em vez de seguirem em linha reta, embalagens chamativas para os produtos mais caros... são todas tentações! Como superá-las? Tente sempre pagar em dinheiro e leve uma lista dos alimentos que realmente precisa. Outra dica é comprar produtos de marca branca quando a qualidade não for comprometida. Existem muitas marcas conhecidas que fabricam para grandes cadeias de distribuição. Investir alguns minutos em pesquisa pode economizar centenas de euros por ano!

Transporte

Hoje em dia, o combustível, os pedágios ou a manutenção do seu carro (ou carros) podem abalar sua economia. Pense se realmente está usando seu veículo e evite despesas como seguros, inspeções veiculares ou trocas de óleo, entre outras. Dependendo de onde mora, pode considerar alternativas mais econômicas e sustentáveis: transporte público, bicicletas e patinetes elétricos ou compartilhamento de mobilidade. Se trabalha a menos de meia hora de casa, também pode optar por ir a pé, economizando na operação biquíni!

Lazer noturno

Jantar fora, tomar uma bebida após o jantar... A atitude em relação ao dinheiro durante uma noite de diversão relaxa tanto quanto nós. Divertir-se é importante, mas leve em conta o quanto está gastando ou chegará em casa com menos dinheiro do que esperava. Não é má ideia fazer um pequeno orçamento antecipadamente ou sair com um celular antigo e sem cartões.

Serviços de utilidades

Analisar as condições de nossos fornecedores de luz, internet, gás, água, etc., é vital para reduzir as contas. Você pode tentar negociar ou mudar para outra empresa. O importante é saber exatamente do que precisa e não pagar por serviços que não está usando. Muitas vezes, os contratos oferecem estimativas que depois não se ajustam à realidade. Mesmo que dê preguiça, incentivamos a revisá-los, pois pode significar uma grande economia em pouco tempo.

Comissões desnecessárias

Já que está revisando contratos... que tal fazer o mesmo com seu banco e seguradora? Talvez esteja pagando pequenas quantias por cartões ou serviços , como trâmites no balcão, dos quais não está ciente. Lembre-se de que tudo soma e esses euros escorrem pelos dedos.

Dê umas ligações ou negocie com seu gerente para retirá-los. Talvez tenha que mudar as condições do contrato, mas será uma vez só, vá em frente!

O plano financeiro como catalisador da felicidade

Para muitos de nós, a independência financeira, a capacidade de lidar com despesas inesperadas e poder ajudar nossos entes queridos quando precisam são os pilares da felicidade. Não há dúvida de que também nos dá tranquilidade ter fundos de poupança de emergência para a aposentadoria. Como podemos organizar melhor as despesas e rendimentos para continuar aumentando nossa saúde financeira?

Aqui estão todas as chaves:

Comece a usar um gerenciador financeiro pessoal

De acordo com a pesquisa do The Currency, pessoas que têm planos detalhados para guiá-las na gestão de suas finanças domésticas têm até 3 vezes mais chances de alcançar a felicidade. As ferramentas chamadas PFM (Personal Finance Manager) nos ajudam a automatizar esse plano e permitem economizar sem esforço. Vamos ver como eles funcionam!

Esses são módulos que usam tecnologia capaz de analisar as informações que aparecem em cada transação bancária para mostrar recomendações e estabelecer melhorias para o usuário. Através do open banking, esses módulos conectam contas bancárias e mostram uma visão completa da situação financeira. Com todas essas informações...

Um Gerenciador Financeiro Pessoal pode realizar as seguintes tarefas automaticamente:

  • Criar orçamentos com base em despesas e rendimentos.

  • Estabelecer metas de economia e sugerir estratégias para alcançá-las.

  • Oferecer conselhos de investimento usando análise preditiva.

  • Enviar alertas para nos lembrar de pagamentos pendentes, por exemplo.

  • Categorizar despesas para sabermos para onde vai nosso dinheiro.

Descubra exatamente como um PFM funciona e quais vantagens ele oferece.

Graças à inteligência artificial e aprendizado de máquina, eles também são capazes de gerar insights financeiros muito úteis, como despesas recorrentes, hábitos de consumo, cobertura de seguros, capacidade de poupança, etc. Para isso, também existem aplicativos capazes de nos ajudar a economizar automaticamente, através de contribuições a cada gol marcado pelo nosso time favorito ou ativando o arredondamento em cada compra com cartão.

Apenas uma parte da população associa a felicidade à conquista de um patrimônio líquido específico. A maioria sente que alcançar metas específicas tem um impacto mais significativo em sua vida. Agora que você sabe como fazer essas pequenas mudanças transformarem suas finanças, só podemos dizer:

Vá em frente!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba nossas últimas notícias diretamente na sua caixa de entrada.